quarta-feira, 13 de maio de 2015

Inspirei sem inspiração

Sem Inspiração

Estou sem inspiração
Sem saber o que escrever
Talvez não tenha nenhuma razão
O que vou dizer.

Sem inspiração eu escrevi
A poesia errada no momento certo
No entanto eu entrevi
A lógica de encontro com o incerto.

Inspirei sem inspiração
Escrevi por escrever sem nada dizer
Não procure uma explicação
Pois não há nada a entender.

Porém não menti e nem omiti
E não to escrevendo com o coração
É apenas o vazio do existir
Da existência da falta de inspiração.


quarta-feira, 6 de maio de 2015

Dicionário Tobisiano

Carência (Relativo ao Eros): Quando a pessoa constrói um amor ideal e vê sentimentos onde não têm e, no final, ela vê que nada existiu. Quando a pessoa fala que ama para alguém (superficialmente), porém é apenas uma fuga da carência, depois, ela vê que enganou a si mesma e a outra pessoa. Quando a pessoa fala que ama outra (superficialmente), porém o que ela quer é que outra pessoa veja. Quando a pessoa sente necessidade de se mostrar, fica fútil, esquece temporariamente de seus princípios e, por fim, reconhece que havia perdido a noção do ridículo.

A fantasia da realidade

Aquele Aquilo

Aquele valorizado diamante
De um sonho distante
Com um brilho cruel
E um amor sem céu.

Aquele sentimento cretino
Erro seu ou coisa do destino
Aquilo que se prometeu
Um beijo que se perdeu.

Aquilo que te faz mentir
Ou que te fazes sorrir
O que te ensina amar
Se arrepender e depois chorar.


Aquele amor que não peço
Nunca entendo e tão contesto
Detesto essa ilusão de verdade
Aquilo pareceria com a minha realidade.

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Gênero humano

Os erros e acertos cometidos 
Por homens e mulheres não são
Masculinos e nem femininos

São, primeiramente, humanos 
Pois o ser humano é definido
Essencialmente em sua totalidade

E não por uma de suas categorias.

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Vaidade intelectual

   As pessoas que estudam filosofia sempre acham que possuem um ponto de vista mais elevado que os outros. Realmente, elas se consideram pessoas especiais, diferentes da grande massa. E mesmo quando não sabem sobre algum assunto, elas opinam da mesma forma, acreditando que sua opinião é relevante só por estudar filosofia.
  Muitos, quando entram para o curso, transformam-se em super-heróis: salvam-se em quase tudo! Só não se salvam de sua arrogância, prepotência, orgulho e vaidade.

  Falo isso por amor à Filosofia e contra sua vulgarização. Ser filósofo não é ser melhor que ninguém, mas, refletir como ser alguém melhor.

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Sein und Zeit

Máquina do tempo danificada

A vida passava e de nada recordava
E percebia que aqui dentro nada mudava
O relógio do tempo, lá fora, passava
A água do rio corria, enquanto eu estava nessa casa
Tudo lá fora mudava as pessoas, as palavras... 
Até as magoas com o tempo eram superadas
Mas não aqui nessa casa. 
Essa casa que guarda mistério 
Parece que está parada no tempo
Daqui de dentro vejo todos lá fora
Mas eles não me enxergam 
Eu me desespero, não entendo por que
Aqui não passam as horas... 

Adormeci e tive um sonho com o passado
E vi que essa casa era camuflada 
Ninguém me via e nada mudava
Essa casa não era normal, nem era uma casa
Era uma máquina do tempo danificada. 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Uma música para acompanhar


Aloha - Legião Urbana

Será que ninguém vê
O caos em que vivemos?
Os jovens são tão jovens
E fica tudo por isso mesmo
A juventude é rica, a juventude é pobre
A juventude sofre e ninguém parece perceber
Eu tenho um coração
Eu tenho ideais
Eu gosto de cinema
E de coisas naturais
E penso sempre em sexo, oh yeah!
Todo adulto tem inveja, todo adulto tem inveja
Todo adulto tem inveja dos mais jovens
A juventude está sozinha
Não há ninguém para ajudar
A explicar por que é que o mundo
É este desastre que aí está
Eu não sei, eu não sei
Dizem que eu não sei nada
Dizem que eu não tenho opinião
Me compram, me vendem, me estragam
E é tudo mentira, me deixam na mão
Não me deixam fazer nada
E a culpa é sempre minha, oh yeah!
E meus amigos parecem ter medo
De quem fala o que sentiu
De quem pensa diferente
Nos querem todos iguais
Assim é bem mais fácil nos controlar
E mentir, mentir, mentir
E matar, matar, matar
O que eu tenho de melhor: minha esperança
Que se faça o sacrifício
Que cresçam logo as crianças.

sábado, 11 de abril de 2015

Amores perdidos



Amor platônico e amor construído

O amor platônico é lindo é romântico, sensível, te faz viajar e sonhar com a pessoa amada além do comum. Nós sentimos que encontramos a pessoa certa e já estamos prontos para amar. Isso pode dá certo, porém é perigoso e, o véu de maia, quando cair, haverá a angústia e decepção.
E o amor construído é diferente, mas também têm suas dificuldades, pois não sabemos se vai dá certo, se vamos aprender amar a outra pessoa, fica a sensação de que falta sentimento e que estamos agindo contra nossas próprias emoções.
A primeira forma de amor é complicada, pois é muito fabulosa e, nem sempre, sentir que gostamos da pessoa antes de ficar com ela, será garantia que dará certo. Portanto, não precisamos gostar, inicialmente, para ficar com alguém. Uma simpatia, coisas em comuns etc., são o suficiente. Então, isso implicará que o amor construído é mais sólido, mesmo possuindo suas dificuldades. Pois ele é empírico, é uma descoberta entre duas almas, e tudo que é construído com paciência e com tijolos por tijolos pode ser bem mais duradouro.
Enquanto isso, a pessoa que gosta antes de ficar, poderá receber um não da outra pessoa que não gosta e que acha necessário gostar para ficar. A diferença dos dois é que, o primeiro, já está iludido com o amor platônico e, a outra, ainda está fazendo esforço para se iludir. Dessa forma, aprendi que o amor construído será menos bonitinho inicialmente, porém o mais consistente.
 No meio dessas questões não compreendidas sobre o amor, eu vejo ilusões de ambos os lados e amores promissores não vividos. Tudo que vejo são apenas dejetos fetais de amores abortados.